faixa-trabalhe-conosco

Mães no mercado de trabalho

maes-no-mercado-de-trabalho
Home Office

Mães no mercado de trabalho

Diante de pesquisas podemos ver que, a maior parte das mães mesmo depois do nascimento de seus filhos querem se recolocar no mercado de trabalho. Mas existe um enorme preconceito de que mães de recém nascidos não possa manter a criação de um bebê e  um trabalho. Isso gera o desconforto de muitas mães de primeira viagem a planejarem uma segunda gravidez.

Segundo dados IBGE publicados na revista Exame, hoje no Brasil são 40,8 milhões de mulheres que trabalham no mercado formal, isso significa 43,8% dos trabalhadores. Dessas mulheres a maioria já são mães, ou seja, as mães que trabalham são agora a regra e não a exceção. As mulheres estão entrando na força de trabalho não apenas pela satisfação na carreira, mas também porque elas e suas famílias precisam da renda.

Período de Licença Maternidade

Atualmente há um grande número de mães, são solteiras e não conseguem manter seu lar sem uma renda fixa. Então acabam contando com berçários e creches desde de muito cedo, se distanciando de seus filhos para manter sua casa. Um pequeno número de pais hoje ficam com as crianças quando não tem aula ou estão adoentados, na maioria das vezes as mães optam deixar com os avós nesses casos.

Por lei, existe um período de 120 dias de licença para que a mãe amamente seu bebê e tenha seus cuidados em casa sendo assim remunerada pela empresa na qual esteja contrata. Nesses casos algumas empresas contratam substitutas para as vagas e na volta das funcionárias depois das licenças acabam desligando a mãe por se sentirem lesados em continuar com uma funcionária que pode faltar por conta da criança.

Voltando ao mercado de trabalho

Em uma pesquisa realizada pela empresa Catho publicada pela Exame, mostrou que houve um aumento da participação feminina em diferentes cargos, subiu de 54,99% em 2011 para 61,57% em 2017. No entanto, as desigualdades permanecem. Elas ocupavam, em 2011, 22,91% dos cargos de presidência; em 2017, esse número passou para 25,85%.

Podemos ver os estudos que as mulheres que uma tem a capacidade de cuidar de seus lares, filhos e ainda assim dar andamento em suas carreiras.

O modelo do Home office pode ser uma boa aposta para aquelas mães que ainda não conseguiram se recolocar no mercado de trabalho. Estar em casa permite que a mãe não perca mais tempo com as idas e vindas de um trabalho presencial. Desperdiçando horas em trânsitos na locomoção para seus lares, podendo aproveitar esse ganho  de tempo com sua família.

Nós da JobHome trazemos o melhor conceito de home office com profissionais qualificados e treinados para oferecer um atendimento personalizado para sua empresa.

 

 

 

 

 

 

 

Deixe seu comentário aqui

O seu endereço de e-mail não será publicado.